Arquivado em: Livros & Literatura, Resenhas 14 dez. 2015

Deixe a Neve Cair, por Vários Autores

14 dez. 2015

Deixe a Neve Cair, por Vários Autores

Olá, Folks!

Lembram que no último 3 Things eu falei sobre umas fotos que tinha tirado, mas que resolvi deixar para outro post porque não queria empanturrar o 3 Things de fotos?

Aqui está esse tal “outro post”, é uma resenha que eu já tinha feito no Tracinhas sobre o livro Deixe a Neve cair, com algumas adaptações, espero que gostem!

neve

Ainda no clima natalino, Deixe a neve cair é um livro composto por três contos de diferentes autores, entre eles o famoso John Green, autor de A Culpa é das Estrelas e Quem é você Alasca. Então pode-se dizer que todas as minhas expectativas se concentravam no conto dele e não fui decepcionada.

A primeira história, cujo titulo é O Expresso Jubileu, por Maureen JohnsonAs Crônicas de Bane –, relata a véspera e o natal de uma garota que possui o nome de Jubileu, e acha que isso é nome de stripper. Fiquei me perguntando que tipo de stripper teria o nome de Jubileu e torci pra que esse nome fosse somente uma adaptação de tradução, mas não é – Jubilee, nome original, é equivalente a Jubileu quando traduzido –.

Inicialmente, esse é aquele tipo de história que você se martiriza pra ler com a mais pura obrigação de chegar ao final. Só que a partir do meio, ela se torna muito interessante, de uma forma que faz você torcer pra que o livro todo seja sobre Jubileu e Stuart, o carinha que a acolhe na véspera de natal depois que seu trem rumo à Flórida, e cheio de líderes de torcida, fica preso na nevasca em Gracetown.

neve3

A história seguinte, O Milagre da Torcida de Natal, escrita por John Green, também se passa em Gracetown e é um paralelo com O Expresso Jubileu, o que me fez cair de amores pelo livro, pois adoro histórias com as perspectivas de personagens diferentes, porém no mesmo contexto e com ângulos de vários autores. E o que todos os contos têm em comum além de muita neve, é a Waffle House e a Starbucks, lugares extremamente acolhedores no meu ponto de vista.

Green utiliza todo seu bom e clássico senso humor, que é uma marca registrada em 100% dos seus livros, relatando a aventura de três amigos que passam por apertos só para chegar à Waffle House lotada de 14 líderes de torcida, além de trazer temas como feminismo/machismo também presentes em Quem é você Alasca, mas devo confessar que ele escreve uma história um pouco óbvia e nada surpreendente. Não é um conto crescente como O Expresso Jubileu, mas sim regular, com a vantagem de ter terminado na hora certa.

neve2

Por fim, o ultimo conto e o que eu mais gostei, diga-se de passagem, é O Santo Padroeiro dos Porcos. Não é um excelente nome para uma história de natal, entretanto me apaixonei pela escrita de Lauren MyracleFormaturas Infernais –. Esse é um conto que me faz lembrar de não ser tão egoísta e de que o mundo não se move por meus desejos. Além disso, é interessante ver que nós somos seres humanos falhos e cheios de imperfeições, e que por mais que não tenhamos a intensão de machucar as pessoas, isso geralmente acaba ocorrendo uma hora ou outra.

Contudo, o que mais me chamou à atenção, foi o fato de que não basta mudar da boca pra fora, precisamos analisar o nosso interior e entendermos até que ponto estamos dispostos a mudar por alguém. Esse é um dos sentidos do Natal, a verdadeira mudança.

neve4

neve6

Deixe a Neve Cair é tão frio quanto uma nevasca e tão aconchegante quanto um copo de chocolate quente.

Com certeza tentarei reler esse livro até o natal, mas a minha lista enorme de livros novos e velhos talvez não deixe…

Espero que vocês tenham gostado da resenha, comentários serão sempre bem-vindos.

neve5

PS.: CHRISTMAS IS COMING! ❄️

Comentários:

(via facebook plataforma)

Comentários: (via plataforma)

0 Comentários

Comente aqui: